Inspeção Predial - Eduardo Rattes | Arquitetura & Interiores

Ir para o conteúdo

Menu principal:

Inspeção Predial

Descrição

Toda edificação necessita de cuidados e manutenções periódicas para que ofereça segurança e conforto aos seus ocupantes, moradores ou visitantes. A estrutura das edificações, assim como as instalações elétricas e hidráulicas, sofre desgaste. Em alguns casos, a deterioração é quase imperceptível, podendo causar incêndios e desabamentos.

Para que serve e o que é uma Inspeção Predial?

Antes de tudo, para garantir a segurança das pessoas. Com a inspeção você tem a certeza de que o local se mantém com a qualidade adequada no decorrer do tempo, prevenindo prejuízos a curto e longo prazo. A inspeção trata-se de uma análise realizada por profissional legalizado, avaliando e diagnosticando o estado da construção e dos seus elementos. A periodicidade desta visita se dá de acordo com a idade do prédio e com a sua categoria, detalhamos isso mais adiante com o descritivo dito em lei.

Qual o objetivo da Inspeção Predial?

O síndico/proprietário/morador poderá obter uma visão ampla e detalhada do estado de conservação e manutenção da edificação, conhecendo os pontos críticos a serem corrigidos;
Proporciona tomada de decisão na elaboração de cronograma físico financeiro diante das manutenções na edificação a fim de garantir uma manutenção mais eficiente e menos onerosa.

Preciso fazer Inspeção Predial?

Se você se enquadrar como responsável de uma das edificações das descritas abaixo, tenha certeza que está na hora de seguir a lei e garantir seu Certificado de Inspeção Predial – CIP:

Como se faz a Inspeção Predial?

1º PASSO

Organizar documentação
A Prefeitura Municipal de Fortaleza exige os seguintes:
• CNPJ da edificação/condomínio.
• RG/CPF do responsável pela edificação.
• Documento que comprove a idade do edifício, como Carta de Habitação (habite-se) ou matrícula no cartório de registro do imóvel.
• Certificado de conformidade do corpo de bombeiros.

2º PASSO

Adquirir o Laudo Técnico de Inspeção Predial 
O documento é feito por uma empresa ou profissional engenheiro ou arquiteto especializado, devidamente registrado e habilitado no respectivo conselho (a boa notícia é que a Eduardo Rattes - Arquitetura & Interiores faz para você). O laudo descreverá a situação detalhada da edificação e indicará as obras de manutenção necessárias para garantir sua segurança, bem como os prazos máximos para a sua conclusão. Esse passo é finalizado quando você recebe o documento do laudo registrado com RRT/ART.

3º PASSO

Executar as obras e os reparos eventualmente indicados no Laudo Técnico de Inspeção Predial;

4º PASSO

Adquirir Certificado de Inspeção Predial – CIP.
Essa é a hora de apresentar o Laudo conclusivo para a Secretaria Municipal de Urbanismo e Meio Ambiente – SEUMA. A partir daí é só aguardar o seu Certificado de Inspeção Predial – CIP.

Colocamos abaixo todo o descritivo da Lei em vigor sobre Inspeção Predial. Caso ainda tenha dúvidas, preocupações ou queira garantir estar dentro da lei agora mesmo basta conversar com a gente. Somos capacitados, certificados e com excelentes profissionais para atendê-lo!





LEI Nº 9913, DE 16 DE JULHO DE 2012.
DISPÕE SOBRE OBRIGATORIEDADE DE VISTORIA TÉCNICA, MANUTENÇÃO PREVENTIVA E PERIÓDICA DAS EDIFICAÇÕES E EQUIPAMENTOS PÚBLICOS OU PRIVADOS NO ÂMBITO DO MUNICÍPIO DE FORTALEZA, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.
 
Art. 1º Fica estabelecida a obrigatoriedade de vistoria técnica, manutenção preventiva e periódica das edificações e equipamentos públicos e privados no ambito do Município de Fortaleza.
Art. 2º São abrangidas pela obrigatoriedade desta Lei as seguintes edificações:
I – as multirresidenciais, com 3 (três) ou mais pavimentos;
II – as de uso comercial, industrial, institucional, educacional, recreativo, religiosos e de uso misto;
III – as de uso coletivo, públicas ou privadas;
IV – as de qualquer uso, desde que representem perigo à coletividade.
Art. 3º As edificações abrangidas por esta Lei deverão possuir Certificação de Inspeção Predial, que será fornecida pelo órgão competente da Prefeitura Municipal de Fortaleza, após a apresentação, pelo responsável pelo imóvel, de Laudo de Vistoria Técnica, obedecidas as seguintes periodicidades:
I – anualmente, para edificações com mais de 50 (cinquenta) anos;
II – a cada 2 (dois) anos, para edificações entre 31 (trinta e um) e 50 (cinquenta) anos;
III – a cada 3 (três) anos, para edificações entre 21 (vinte e um) e 30 (trinta) anos e, independentemente da idade, para edificações comerciais, industriais, privadas não residenciais, clubes de entretenimento e para edificações públicas;
IV – a cada 5 (cinco) anos, para edificações com até 20 (vinte) anos.
Art. 4º Para efeitos desta Lei, a idade do imóvel será contada a partir da data de expedição da Carta de Habitação (habite-se) e, em sua falta, a contagem se dará a partir da data da matrícula no cartório de registro de imóveis em nome do primeiro proprietário ou, ainda, a partir de outra evidência que possibilite sua aferição.
§ 1º O disposto neste artigo será aplicável às alterações construtivas, sem prejuízo dos prazos constantes neste artigo.
§ 2º Não se eximem da aplicação desta Lei as obras inconclusas, incompletas, irregulares, abandonadas ou ocupadas, cuja idade será contada a partir da data de liberação do alvará de construção.
Art. 5º O Laudo de Vistoria Técnica de inspeção predial será elaborado por engenheiros ou arquitetos devidamente habilitados e com registro junto ao Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA-CE/CAU-CE).
Art. 6º Na elaboração do Laudo de Vistoria Técnica, o profissional deverá observar e registrar os aspectos de segurança da edificação, obedecendo a todas as normas técnicas da ABNT pertinentes, devidamente acompanhado da Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), contendo, no mínimo:
I – a descrição detalhada do estado geral da edificação (estrutura, instalações e equipamentos);
II – as características das anomalias por ventura encontradas e suas causas;
III – as especificações dos pontos sujeitos à manutenção preventiva ou corretiva, bem como a periodicidade das mesmas;
IV – as medidas saneadoras a serem utilizadas;
V – os prazos máximos para a conclusão das medidas saneadoras propostas.
Parágrafo Único – Os sistemas mecânicos e/ou elétricos, instalações e equipamentos, tais como de elevadores, escadas rolantes, plataforma de elevação, esteiras rolantes, monta-cargas, subestações, grupos geradores, de prevenção e combate a incêndio, ar-condicionado, gases, caldeiras, transformadores e outros que façam parte da edificação, deverão ser submetidos a vistorias técnicas e elaboração de laudos técnicos específicos por profissionais habilitados no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA-CE), conforme legislação específica.
Art. 7º Ao proprietário ou responsável legal da edificação caberá a contratação dos laudos técnicos e a aquisição do Certificado de Inspeção Predial junto ao poder público municipal, nos prazos determinados no art. 3º desta Lei.
§ 1º Na hipótese da constatação de irregularidades, os responsáveis pelas edificações deverão providenciar, nos prazos definidos no laudo técnico referido no caput deste artigo, a recuperação, manutenção, reforma ou restauro necessário à seguranga e utilização das mesmas.
§ 2º Os responsáveis, proprietários ou gestores das edificações e equipamentos de que trata esta Lei deverão manter os relatórios ou laudos técnicos das vistorias realizadas em local franqueado ao acesso da fiscalização municipal.
Art. 8º A Certificação de Inspeção Predial deverá ser afixada em local visível a todos os usuários da edificação, bem como aos agentes públicos responsáveis pela fiscalização do que determina esta Lei.
Art. 9º Após 5 (cinco) anos da expedição do “habite-se” pelo Município, os proprietários ou administradores das edificações públicas ou privadas deverão apresentar ao órgão competente do Municipio de Fortaleza o Laudo de Vistoria das Condições de manutenção dos imóveis, assinado por responsável técnico.
Art. 10º A não apresentação do Laudo de Vistoria Técnica de que trata esta Lei nos prazos previstos no art. 3º e a não realização das obras e serviços para recuperação dos imóveis, no prazo estabelecido no Laudo de Vistoria Técnica, serão consideradas infrações administrativas, podendo o Município de Fortaleza, através do órgão competente, lavrar auto de infração para aplicação de sanções administrativas, conforme determinado pela regulamentação a que se refere o art. 12 desta Lei.
Art. 11º Os proprietários ou responsáveis legais das edificações constantes no art. 2º desta Lei deverão apresentar Laudo de Vistoria Técnica inicial no prazo de até 180 (cento e oitenta) dias da data de publicação da regulamentação de que trata o art. 12 desta Lei.
Art. 12º Caberá ao Poder Executivo a regulamentação desta Lei no prazo de 90 (noventa) dias, após sua vigência.
Art. 13º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.
Eduardo Rattes - Arquiteto e Urbanista: Especialista em Inspeção Predial com certificado de capacitação extensivo homologado pela Fundação ASTEF vinculada a Universidade Federal do Ceará - UFC.
 
© 2019 por Eduardo Rattes.  (Melhor visualizado em tela horizontal)
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal